Entrada Departamento Notícias Estudantes DFA ganham bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian

Estudantes DFA ganham bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian

Bolsa do programa Novos Talentos em Tecnologias Quânticas
Estudantes DFA ganham bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian

Duarte Magano e Ariel Guerreiro (à esquerda), no DFA da FCUP. Tiago Gomes e Helder Crespo (à direita), no laboratório Femtolab do IFIMUP-IN / DFA-FCUP. (*)

 

Duarte Manuel Nogueira Magano e Tiago dos Santos Gomes, estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, foram dois dos oito contemplados pelo programa Novos Talentos em Tecnologias Quânticas da Fundação Calouste Gulbenkian.

Este programa pretende estimular nos jovens a apetência para a investigação em Tecnologias Quânticas, possibilitando o desenvolvimento de competências nacionais nesta área.

Na primeira edição deste programa os referidos estudantes dos cursos de Mestrado em Física e de Mestrado Integrado em Engenharia Física poderão desta forma desenvolver competências nacionais na investigação em Tecnologias Quânticas.

O estudante Duarte Magano, sob a orientação do Prof. Ariel Guerreiro, investigará os sistemas quânticos entrelaçados a alta temperatura e a sua aplicação em sistemas de informação quântica. O entrelaçamento quântico (quantum entanglement) é uma propriedade quântica fundamental para o desenvolvimento de novas tecnologias, como a computação quântica e a criptografia quântica, e normalmente só pode ser obtido em sistemas arrefecidos a temperaturas muito baixas, perto do zero absoluto, de forma a evitar a destruição desta propriedade por efeitos térmicos. Tal leva a que actualmente, os computadores quânticos sejam sistemas complexos e volumosos (ocupam um sala). Porém, em 2006, investigadores da FCUP, em colaboração com os Profs. Anton Zeilinger e Markus Aspelmeyer, demonstraram pela primeira vez ser possível produzir entrelaçamento quântico a temperaturas arbitrariamente altas. Este projecto tem como objectivo estender estes resultado e abordará o problema conceptual e teórico da geração entrelaçamento quântico em sistemas nanoscópicos a alta temperatura, integráveis em dispositivos ópticos miniaturizados, sendo desenvolvido em colaboração com o CAP/INESC-TEC.

O trabalho de investigação de Tiago Gomes, com a duração de 10 meses e sob a orientação do Prof. Helder Crespo, terá como objectivo o estudo e demonstração de novos detetores de luz baseados na interferência quântica de correntes não-lineares em materiais, com os quais se espera poder medir directamente a fase absoluta de impulsos luminosos ultra-curtos numa gama muita larga do espectro, com impacto para a aplicação destes impulsos em muitas áreas da ciência e da tecnologia. O laboratório Femtolab do IFIMUP-IN, será o local onde decorrerá a investigação. Este laboratório conta com tecnologia única para a geração, controlo e medida de impulsos luminosos ultra-rápidos extremos com apenas um ciclo-ótico de duração (cerca de 3 femtosegundos).


(*) O espectro de luz que se vê à esquerda, semelhante a um arco-íris, corresponde a um dos lasers ultra-rápidos que vai ser usado no trabalho. Ao contrário dos lasers convencionais, que são monocromáticos, o laser de 3 femtosegundos de duração criado no Femtolab (o primeiro do seu tipo no mundo) possui um espectro que se estende do infravermelho ao ultravioleta, como se pode ver na imagem. Esta largura espectral é ditada pelo princípio de incerteza: como os impulsos do laser estão extremamente localizados no tempo, a energia (logo, a cor) dos fotões que os compõem tem obrigatoriamente que cobrir uma gama larga.

Ver informações sobre o programa e consultar os resultados desta primeira edição.

Acções do Documento
classificado em: