Entrada Departamento Notícias Palestra - Da Previsão à Prevenção

Palestra - Da Previsão à Prevenção

Da Previsão à Prevenção

Risco Sísmico em Portugal Continental


Carmen Diego Gonçalves
26 de outubro 2017, 17:30
Anfiteatro -120, Edifício FC3, FCUP


Resumo: Partindo da dimensão política do conceito de ‘mundo de sociedades de risco’, faz-se uma análise das conceções especializadas e perceções leigas associadas à previsão e prevenção de risco sísmico, em Lisboa e Porto, e dimensões correlacionadas, nomeadamente as da confiança, regulamentação, transparência e prestação de contas (accountability, na terminologia anglo saxónica). Os dados permitem evidenciar padrões comuns de pensamento, entre especialistas e leigos, pela partilha de pressupostos cognitivos, culturais e sociais, dando expressão à emergência, do que denominamos, Paradigma da Responsabilização, refletindo, por um lado, um movimento dentro da comunidade de especialistas, no sentido “da previsão à prevenção”, salientando a dimensão do cidadão na identidade do cientista e, por outro, a consciência reflexiva que os leigos têm dessa realidade, e reclamando a sua inclusão em situações de decisão sobre risco, questionando desta forma a lógica da segurança e do controle, exclusivista de especialistas e políticos, prevalecente anteriormente, como modelo de desenvolvimento social. O processo de investigação assentou em técnicas qualitativas de recolha e tratamento de dados; a entrevista semiestruturada (conduzidas com cientistas), os grupos focalizados (conduzidos com cientistas e leigos) e a análises de conteúdo documental. A análise temática do corpus foi feita utilizando o sistema ALCESTE (Analyse Laxicale par Contexte). Palavras-chave: Responsabilização; Transparência; Accountability; Decisão; Cidadania.

Carmen Diego Gonçalves é Doutorada em Sociologia, especialidade da Comunicação, da Cultura e Educação, pelo ISCTE. Até 28 de Fevereiro de 2013 foi bolseira de pós-doutoramento, com bolsa da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) no Centro de Estudos Sociais da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, onde foi Investigadora Associada ao NECES.

Tem desenvolvido a atividade profissional nas áreas da docência, investigação e formação universitárias.

Os seus domínios de interesse e investigação passam por (a) Teorias Sociais de Risco e Incerteza, aplicadas, nomeadamente, a Desastres & Catástrofes, dando ênfase aos conceitos de Vulnerabilidade e Resiliência contextualmente situados e, neste âmbito, a fatores preditores e protetores de stress e trauma, consequência de exposição prolongada e cumulativa a situações potencialmente subjacentes, como é o caso do desempenho da atividade das equipas de emergência e socorro – salientando o capital social como um fator protetor e preditor; (b) Estilos de Pensamento, Thémata e inter-relação com a Teoria das Representações Sociais; (c) Ciência, Tecnologia e Sociedade. Ciência, Conhecimento e práticas científicas. Ciência, Cultura, Divulgação Científica e Estratégias de Comunicação; (d) Democracia e Cidadania - Accountability, Participação Pública e Direitos Humanos; (e) Tecnologias da informação; (f) Métodos qualitativos e quantitativos de recolha e análise de dados, nomeadamente, a análise estatística com recurso ao SPSS e análise lexical. No âmbito da interação ciência-sociedade, privilegiando a investigação interdisciplinar refere-se o interesse na problemática das conceções e perceções de risco, nomeadamente sísmico e biotecnológico, associadas a diferentes estratégias de comunicação e estilos de pensamento.

Tem participado em vários projetos nacionais e internacionais. Autora de diversas comunicações. O seu trabalho tem sido publicado em revistas e livros nacionais e internacionais.

[1] O trabalho aqui apresentado resulta da dissertação de Tese de Doutoramento em Sociologia, Especialidade de Sociologia da Comunicação, Cultura e da Educação, apresentada pela autora no ISCTE: “Estilos de pensamento nas conceções e perceções de risco. O risco sísmico em Portugal Continental. Da Previsão à Prevenção”. O trabalho foi financiado por uma bolsa de doutoramento, no país e no estrangeiro, concedida pela FCT.

Acções do Documento
classificado em: